Cyber-Cultura e Etc.

Aventuras e desventuras de um web designer

Ajudando a Salvar a Amazônia! — 14 / janeiro / 2011

Ajudando a Salvar a Amazônia!

Caros amigos,

O Presidente do IBAMA se demitiu ontem sob forte pressão para permitir a construção do desastroso Complexo Hidrelétrico de Belo Monte, que iria devastar uma área imensa da Amazônia e expulsar milhares de pessoas. Proteja a Amazônia seus povos e suas espécies — assine a petição para Presidente Dilma contra a barragem e pedindo eficiência energética:

Assine a petição!

O Presidente do IBAMA se demitiu ontem devido à pressão para autorizar a licença ambiental de um projeto que especialistas consideram um completo desastre ecológico: o Complexo Hidrelétrico de Belo Monte.

A mega usina de Belo Monte iria cavar um buraco maior que o Canal do Panamá no coração da Amazônia, alagando uma área imensa de floresta e expulsando milhares de indígenas da região. As empresas que irão lucrar com a barragem estão tentando atropelar as leis ambientais para começar as obras em poucas semanas.

A mudança de Presidência do IBAMA poderá abrir caminho para a concessão da licença – ou, se nós nos manifestarmos urgentemente, poderá marcar uma virada nesta história. Vamos aproveitar a oportunidade para dar uma escolha para a Presidente Dilma no seu pouco tempo de Presidência: chegou a hora de colocar as pessoas e o planeta em primeiro lugar. Assine a petição de emergência para Dilma parar Belo Monte – ela será entregue em Brasília, quando conseguirmos 150.000 assinaturas:

https://secure.avaaz.org/po/pare_belo_monte/?vl

Abelardo Bayama Azevedo, que renunciou à Presidência do IBAMA, não é a primeira renúncia causada pela pressão para construir Belo Monte. Seu antecessor, Roberto Messias, também renunciou pelo mesmo motivo ano passado, e a própria Marina Silva também renunciou ao Ministério do Meio Ambiente por desafiar Belo Monte.

A Eletronorte, empresa que mais irá lucrar com Belo Monte, está demandando que o IBAMA libere a licença ambiental para começar as obras mesmo com o projeto apresentando graves irregularidades. Porém, em uma democracia, os interesses financeiros não podem passar por cima das proteções ambientais legais – ao menos não sem comprarem uma briga.

A hidrelétrica iria inundar 100.000 hectares da floresta, impactar centenas de quilômetros do Rio Xingu e expulsar mais de 40.000 pessoas, incluindo comunidades indígenas de várias etnias que dependem do Xingu para sua sobrevivência. O projeto de R$30 bilhões é tão economicamente arriscado que o governo precisou usar fundos de pensão e financiamento público para pagar a maior parte do investimento. Apesar de ser a terceira maior hidrelétrica do mundo, ela seria a menos produtiva, gerando apenas 10% da sua capacidade no período da seca, de julho a outubro.

Os defensores da barragem justificam o projeto dizendo que ele irá suprir as demandas de energia do Brasil. Porém, uma fonte de energia muito maior, mais ecológica e barata está disponível: a eficiência energética. Um estudo do WWF demonstra que somente a eficiência poderia economizar o equivalente a 14 Belo Montes até 2020. Todos se beneficiariam de um planejamento genuinamente verde, ao invés de poucas empresas e empreiteiras. Porém, são as empreiteiras que contratam lobistas e tem força política – a não ser claro, que um número suficiente de nós da sociedade, nos dispormos a erguer nossas vozes e nos mobilizar.

A construção de Belo Monte pode começar ainda em fevereiro.O Ministro das Minas e Energia, Edson Lobão, diz que a próxima licença será aprovada em breve, portanto temos pouco tempo para parar Belo Monte antes que as escavadeiras comecem a trabalhar. Vamos desafiar a Dilma no seu primeiro mês na presidência, com um chamado ensurdecedor para ela fazer a coisa certa: parar Belo Monte, assine agora:

https://secure.avaaz.org/po/pare_belo_monte/?vl

Acreditamos em um Brasil do futuro, que trará progresso nas negociações climáticas e que irá unir países do norte e do sul, se tornando um mediador de bom senso e esperança na política global. Agora, esta esperança será depositada na Presidente Dilma. Vamos desafiá-la a rejeitar Belo Monte e buscar um caminho melhor. Nós a convidamos a honrar esta oportunidade, criando um futuro para todos nos, desde as tribos do Xingu às crianças dos centros urbanos, o qual todos nós podemos ter orgulho.

Com esperança

Ben, Graziela, Alice, Ricken, Rewan e toda a equipe da Avaaz

Fontes:

Belo Monte derruba presidente do Ibama:
http://colunas.epoca.globo.com/politico/2011/01/12/belo-monte-derruba-presidente-do-ibama/

Belo Monte será hidrelétrica menos produtiva e mais cara, dizem técnicos:
http://g1.globo.com/economia-e-negocios/noticia/2010/04/belo-monte-sera-hidreletrica-menos-produtiva-e-mais-cara-dizem-tecnicos.html

Vídeo sobre impacto de Belo Monte:
http://www.youtube.com/watch?v=4k0X1bHjf3E

Uma discussão para nos iluminar:
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101224/not_imp657702,0.php

Questão de tempo:
http://oglobo.globo.com/economia/miriam/posts/2011/01/13/questao-de-tempo-356318.asp

Dilma: desenvolvimento com preservação do meio ambiente é “missão sagrada”:
http://www.pernambuco.com/ultimas/nota.asp?materia=20110101161250&assunto=27&onde=Politica

Em nota, 56 entidades chamam concessão de Belo Monte de ‘sentença de morte do Xingu’:
http://oglobo.globo.com/economia/mat/2010/08/26/em-nota-56-entidades-chamam-concessao-de-belo-monte-de-sentenca-de-morte-do-xingu-917481377.asp

Marina Silva considera ‘graves’ as pressões sobre o Ibama:
http://www.estadao.com.br/noticias/economia,marina-silva-considera-graves-as-pressoes-sobre-o-ibama,475782,0.htm

Segurança energética, alternativas e visão do WWF-Brasil:
http://assets.wwfbr.panda.org/downloads/posicao_barragens_wwf_brasil.pdf

Apoie a comunidade da Avaaz! Nós somos totalmente sustentados por doações de indivíduos, não aceitamos financiamento de governos ou empresas. Nossa equipe dedicada garante que até as menores doações sejam bem aproveitadas — clique para doar.

A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 5,6 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. (“Avaaz” significa “voz” e “canção” em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 13 países de 4 continentes, operando em 14 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.

Para entrar em contato com a Avaaz, escreva para nós no link www.avaaz.org/po/contact.

Nota pessoal: Eu mesmo assinei a petição pois acredito ser muito importante tomar alguma ação nisto. Principalmente porque a idéia é levar diretamente para a Presidente Dilma. Devo lembrar a todos os eleitores dela (e mesmo aqueles que não votaram nela, como eu), que uma das principais promessas de campanha dela foi uma promessa ecológica envolvendo a Amazônia. Agora vamos ver se ela seguirá a sua palavra mesmo.

Agora que ela já está no poder, isso não se trata de politicagem ou preferênia partidária (mesmo porque sou membro do partido do vice-presidente). Trata-se sim de COBRAR A NOSSA PRESIDENTE pelas promessas feitas.

Sucesso Nuclear da França — 01 / abril / 2009

Sucesso Nuclear da França

Uma “brincadeira saudável” por parte de meus colegas ativistas on-line do Greenpeace, o “Sucesso Nuclear da França” lembra mais uma brincadeira de 1º de Abril, mas é verdade.

Se você acessar o Google.fr e digitar nas pesquisas “French Nuclear Success” e clicar no botão “Estou com sorte” verá do que estou falando.

Claro que é mais uma manobra, entre muitas, para alertar as pessoas de acontecimentos anti-ecológicos ao redor do globo, neste caso um foco específico nos esforços franceses para o desenvolvimento de energia nuclear que tem sido alvo de críticas durante 50 anos.

São 7 problemas principais no sistema francês que estão enumerados (em inglês) neste link, mas que irei traduzir para facilitar a vida de vocês.

1. Políticas Climáticas
As sobrecapacidades da estrutura nuclear da França se apresenta como um obstáculo para o desenvolvimento de energia renovável e medidas de uso eficiente de energia. A França está presa em uma “areia movediça” nuclear, causando ao país uma séria banalização das políticas de eficiência energética e nas soluções de energia limpa.

2. Segurança Energética
O programa nuclear não reduz a dependência da França no petróleo. A energia nuclear contribui em apenas 14% do consumo total de energia na França, enquanto o país consome mais petróleo per capita do que a média européia. Controlar a demanda de energia e energia renovável são ações mais importantes, para atingir a segurança energética e a redução da emissão de gases do efeito estufa, do que a energia nuclear.

3. Economia
Apesar de amplamente invisível, os pagadores de impostos franceses bancam grande parte dos custos nucleares. O governo francês, como regulador dos preços da energia e dono da EDF conseguiu superar o maior obstáculo à energia nuclear planejando, livremente, o retorno dos custos capitais dos investimentos nucleares. Os recursos públicos do país estão sendo largamente utilizados para auxiliar a indústria nuclear, indo desde financiamentos de programas de Pesquisa & Desenvolvimento, até garantias de empréstimos com juros baixos.

4. Proteção
Novas ameaças potenciais à segurança foram identificadas, relacionadas à mudança climática ou atos deliberados de malícia, gerando uma luz de preocupação no nível de segurança das envelhecidas instalações nucleares da França. A indústria nuclear francesa, que inclui cada passo do ciclo do combustível, traz diversas ameaça à segurança. Os operadores das 200 usinas nucleares da França declaram um grande número de eventos todos os anos; Só a EDF declara de 10.000 a 20.000 eventos, dos quais 700 a 800 são classificados como ‘incidentes’ ou ‘significantes’.

5. Segurança

Instalações nucleares – sejam reatores, manufatura de combustível, reprocessamento, depósitos ou transporte de lixo nuclear – não foram projetadas para suportar o impacto do uso de aviões sequestrados. A queda de um avião em um dos depósitos de lixo nuclear de La Hague pode causar um vazamento radioativo 6 vezes maior do que Chernobyl. Ao mesmo tempo, o sigilo bloqueia qualquer debate democrático sobre o problema. Também, o EPR não parece pronto para enfrentar as novas ameaças; as lições do 11 de Setembro não levaram as autoridades a rever os requerimentos básicos de design do reator.

6. Lixo
França, o país da especialização nuclear, não tem uma solução a longo prazo para seu lixo nuclear. O inventário de lixo radioativo continua crescendo em tamanho (890.000 m³ em 2004) e complexidade. O reprocessamento, que se apresenta como solução para a redução dos dejetos altamente radioativos, ao contrário aumenta a complexidade e o perigo do manuseio do lixo radioativo. O desmanche de instalações nucleares está fadado a causar maiores custos e problemas.

7. Armas Nucleares
A França está piorando dramaticamente o problema da proliferação de armas nucleares pela sua política de promover o uso da energia nuclear em algumas das partes mais instáveis de nosso mundo. Os franceses estão mandando uma mensagem extremamente perigosa para o resto do mundo quando ignoram a construção de um grande estoque de plutônio – um componente-chave em armas nucleares – enquanto promove a expansão do reprocessamento internacionalmente.

Bom, não há muito o que fazer para nós pobres mortais, mas pelo menos dizendo o que está acontecendo em certas partes do mundo é possível alertar as pessoas e, se cada um tomar uma pequena atitude, podemos fazer grandes diferenças.

Se quiser ajudar a disseminar esta página e essas informações, faça o seguinte:
Entre na página Google.fr, digite “Frech Nuclear Success” e clique no botão “Estou com sorte”. Isso vai levá-lo para uma página similar ao Google, mas é uma página do Greenpeace. Se quiser ajudar a manter essa página no topo das pesquisas, faça o seu post, use a tag “Greepeacebuzz” e link para esta página: http://www.greenpeace.org/international/campaigns/nuclear/french-nuclear-success/france-s-nuclear-failures

É isso aí, obrigado por ajudar a salvar o mundo!

Máquina Removedora de Dióxido de Carbono — 02 / outubro / 2008

Máquina Removedora de Dióxido de Carbono

 
Bookmark and Share

A atual concentração de gás carbônico na atmosfera é de aproximadamente 383 partes por milhão (ppm) em volume.
A atual concentração de gás carbônico na atmosfera é de aproximadamente 383 partes por milhão (ppm) em volume.

Notícia para deixar feliz quem gosta de preservar o meioambiente, principalmente nosso ar.

Cientistas canadenses desenvolveram uma máquina que remove CO2 do ar. Diferente dos filtros utilizados em fábricas, sua função não é limpar o ar que sai de fornalhas de grandes indústrias, mas sim limpar o nosso ar mesmo, coisa para qual não havia solução até então.

A iniciativa veio do grupo de Cientistas da Mudança Climática da Universidade de Calgary, no Canadá e, segundo eles, a tecnologia está em um estágio próximo a sua versão comercial. Para colocar a idéia em prática eles construiram uma torre de captura de ar capaz de purificá-lo utilizando apenas 100 kw por hora para cada tonelada de CO2. A unidade experimental é capaz de capturar cerca de 20 toneladas de dióxido de carbono em um ano, que é próximo da quantidade de CO2 produzida por habitante na América do Norte.

Realmente uma grande promessa na luta contra o aquecimento global.

Veja a notícia completa (em inglês) no site The Tech Herald.

Veja mais informações sobre o aquecimento global no site do Greenpeace.